Como funciona um radar de velocidade?

Entenda como funcionam os radares fixos e móveis utilizados no trânsito

Os radares fazem parte do dia a dia de quem trafega pelas vias urbanas e estradas no Brasil. A presença deles ajudam a monitorar as velocidades dos veículos e reduzir o número de acidentes, medida que ajuda a salvar vidas e cultivar um trânsito mais seguro.

Ainda que o motorista esteja acostumado a controlar a velocidade para monitorar as multas que recebe, muitos ainda não entendem como os radares funcionam. Para tirar as dúvidas, o texto abaixo detalha sobre esse processo.

Como funciona um radar?

Primeiro, é importante dar uma breve explicação sobre o que é um radar. Este equipamento é composto por enormes antenas, que enviam pulsos eletromagnéticos consecutivamente para longas distâncias. Quando algum objeto reflete o pulso, a antena registra essa resposta e consegue calcular a distância que este objeto se encontra.

Quando um novo pulso acontece, ocorre o mesmo processo, mas com um adicional. Com base nas duas informações de distância recebidas, é feito um rápido cálculo em relação a elas e o tempo, indicando qual é a velocidade dos objetos — algo que servirá de base para o radar de velocidade.

Outro ponto importante é o chamado efeito Doppler. Para entender o que ele é, um exemplo prático é a sirene da ambulância: quando ela está se aproximando, as pessoas percebem o som de uma maneira; à medida que ela se afasta, a percepção do som torna-se diferente. Isso acontece em razão de como a distância afeta a frequência e sua percepção.

Esse efeito também é utilizado nos radares, mas ao invés de operar com ondas sonoras, eles trabalham com frequências de ondas eletromagnéticas. Assim, é possível fazer o cálculo de velocidade com que o objeto se aproxima do radar.

Radares de trânsito

No caso dos radares de trânsito, eles podem ser divididos em dois tipos principais: os fixos e os móveis. O primeiro, conhecido popularmente como “pardal”, são aqueles que ficam acoplados em postes em vias muito movimentadas ou que registram muitos acidentes. Ele é composto por um sistema com um computado e três faixas de sensores magnéticos.

Esses sensores, presentes no chão, enviam pulsos até o computador de medição, que será o responsável por realizar os cálculos de velocidade. Os detectores criam um campo eletromagnético e, como os veículos têm em sua composição elementos ferromagnéticos, isso acaba afetando os sensores, com o campo sendo anulado quando o veículo passa pelo primeiro sensor.

Enquanto ele passa pelos sensores, rapidamente é feito os cálculos para saber a velocidade que o veículo se encontra. Caso esteja acima do limite estabelecido, o cálculo é refeito entre o segundo e terceiro sensor e, com o excesso confirmado, as câmeras que acompanham o sistema registram a imagem do veículo e repassam para a central de informações.

Radares móveis

Já no caso dos radares móveis, eles emitem sinais de rádio para os veículos. Assim como os radares tradicionais, essa emissão é constante, mas o tempo de reflexo não, visto que o carro está em movimento. Essa diferença entre uma reflexão e outra é o efeito Doppler.

Assim, o próprio equipamento faz os cálculos e fornece a velocidade para o agente de trânsito que acompanha o radar. Para ter certeza de que um veículo está acima da velocidade, costuma-se usar dois equipamentos na fiscalização. Após registrado o excesso, é aplicado a multa.

Multas por excesso de velocidade

Quanto às multas por excesso de velocidade, é importante esclarecer que existem diferentes “níveis”. Quando o motorista passa até 20% do limite de velocidade, é considerada uma infração média, que gera uma multa no valor de R$ 130,16 e mais 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Se a velocidade registrada pelo radar é de 20% até 49% acima do limite da vida, a infração é considerada grave. Nesse caso, a multa tem o valor de R$ 195,23 e o condutor é punido com 5 pontos na CNH. Por fim, acima de 50% do limite, a infração é considerada gravíssima. Isso significa 7 pontos na CNH e uma multa no valor de R$ 880,41.

                                                                                                                                                                                                                                                                               

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.