Servidores continuam na Secretaria Municipal de Administração

Compartilhe esse conteúdo

Apesar da promessa, postada nas redes sociais pelo próprio prefeito Carlos Eduardo, de que ontem e hoje pagaria os salários atrasados de dezembro, os servidores continuam em greve por tempo indeterminado e realizam às 10h de hoje um ato unificado na sede da Secretaria Municipal de Administração (Semad).
 
Ainda para ontem à tarde estava agendada uma reunião do prefeito com os servidores, porém, faltando poucos instantes para a hora marcada, os manifestantes foram avisados de que não haveria mais a reunião agendada. “Era uma reunião às 15h, mas recebemos a ligação avisando que, por determinação do prefeito, só haveria reunião se a gente desocupasse o prédio. Não concordamos. Em dezembro, quando ocupamos a prefeitura, ele veio com essa conversa e no final não cumpriu e até hoje estamos com os salários atrasados”, reclamou a dirigente do Sindicatos dos Servidores Municipais (Sinsenat), Soraya Godeiro.
 
Os servidores reivindicam além do pagamento atrasado, a apresentação do calendário do pagamento de salários, detalhamento da folha de pagamento para análise e a instalação de uma mesa de negociação permanente.
 
No início da tarde de ontem, o prefeito Carlos Eduardo começou a fazer postagens afirmando que a ocupação dos servidores estava impedindo o pagamento dos salários. “Prefeitura impedida de pagar salários hoje. Dirigentes sindicais invadiram Secretaria de Administração e impedem acesso de funcionários ao Natalprev”, escreveu o prefeito. Isso porque os técnicos da pasta precisariam ter acesso ao prédio ocupado para enviar dados ao Banco do Brasil – por onde é feito o pagamento. Ele também postou que apesar da crise mantinha a prioridade de pagar a folha e que o décimo terceiro foi pago em dia, assim como 70% dos salários de dezembro que foi pago nos primeiros dias de janeiro.
 
Por meio de nota oficial, o posicionamento também veio da Prefeitura informando que “a invasão à sede da Secretaria Municipal de Administração (Semad), organizada por membros ligados a sindicatos representativos dos servidores, compromete o funcionamento da pasta, com o impedimento dos funcionários da pasta de terem acesso ao seu local de trabalho. Sem puderem entrar no prédio, os servidores da Secretaria de Administração não conseguem realizar os procedimentos e acessar o sistema para encaminhar os dados bancários ao Banco do Brasil a fim de garantir o repasse desses salários. Assim, os servidores do Município que se enquadram nessa faixa salarial ficarão prejudicados, sem receber seus vencimentos, enquanto não for retomada a normalidade no funcionamento da Semad”, complementou a nota.
 
Mas o Sinsenat rebateu. Soraya Godeiro disse que o prefeito busca culpar os servidores. “Essa desculpa de a gente atrapalhar o pagamento não procede porque o sistema pode ser acessado de qualquer lugar se a folha já tiver pronta. Como a gente não caiu nessa, ele fez outro Twiter confirmando pagamento”, pontua. Três horas depois das primeiras postagens, Carlos Eduardo anunciou que pagaria ontem e hoje os atrasados. “Apesar de dirigentes sindicais tentarem impedir pagamento, Prefeitura vai pagar seus servidores hoje e amanhã”, postou o prefeito.
 
Mesmo assim, os servidores mantiveram o movimento de paralisação alegando que, mesmo que o pagamento fosse concluído, ainda não havia garantias de que fosse mantido em dia e nem da implantação de uma mesa de negociação.
 
No início da noite, três horas depois da postagem garantindo pagamento, o prefeito voltou a publicar dizendo que os servidores impediram o pagamento de mais de 1.600 aposentados e pensionistas. “Dirigentes sindicais impediram que 1.601 entre aposentados e pensionistas receberem (sic) os seus benefícios hoje”. “A defesa dos aposentados e pensionista (sic) é uma questão de honra. PMN entrou na Justiça para garantir seus direitos”.