Fifa volta a cobrar mudanças na CBF, mas evita falar sobre Del Nero

Compartilhe esse conteúdo

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, volta a cobrar a CBF por mudanças. Em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira em Zurique, o suíço insistiu que "ainda há algum trabalho a ser feito (na CBF)" e em seguida cobrou: "Espero que o trabalho seja feito".
 
Infantino preferiu não se estender ao ser questionado sobre a situação da CBF e de Marco Polo Del Nero, que não pode deixar o Brasil sob o risco de ser detido. Mas a reportagem do Estado confirmou que a Fifa continua sem liberar os recursos que havia prometido ao Brasil por conta da Copa de 2014
 
A entidade considera que não existem ainda condições para repassar quase US$ 100 milhões para a CBF investir no futebol. 
 
Em dezembro, uma delegação da CBF chegou a viajar para Zurique para apresentar à Fifa os projetos sociais que estariam sendo desenvolvidos, além de negociar como garantir acesso aos recursos. Mas não conseguiram convencer os cartolas na Suíça de que existem condições de averiguar como o dinheiro seria destinado. "As condições não estão dadas", justificou a entidade, por meio de seu Departamento de Imprensa. 
 
O Estado apurou que existem dois obstáculos para a liberação do dinheiro. O primeiro deles se refere à situação de Marco Polo Del Nero, presidente da CBF e indiciado nos Estados Unidos por corrupção. 
 
A Fifa ainda precisa se defender nos tribunais americanos e, diante dessa situação, advogados aconselharam a entidade a romper relações financeiras com qualquer pessoa implicada na investigação. Repassar US$ 100 milhões ao comando de Del Nero, portanto, poderia ter consequências negativas para a Fifa no caso que, em 2017, vai ainda levar diversos cartolas aos tribunais em Nova York. Outro argumento que também pesa é o fato de que a CBF ainda não concluiu suas reformas internas.
 

Ingressos do jogo do Flamengo na Arena das Dunas variam entre R$ 40 e R$ 210

Compartilhe esse conteúdo

A Arena das Dunas divulgou nesta sexta-feira (20) os preços dos ingressos da partida entre Flamengo e Boavista, que acontecerá no dia 28 de janeiro no estádio potiguar. As informações foram divulgadas no site oficial da arena na manhã de hoje. O início das vendas, no entanto, não foi divulgado. A expectativa é de os ingressos comecem a ser comercializados na próxima segunda-feira, dia 23, para os sócio-torcedores do Rubro-Negro.
 
Os valores dos ingressos variam de R$ 40 (meia), no setor sul, até 210 (int.) no setor hospitalidade, com direito Open Bar e Dj.  O Flamengo fará sua estreia no Campeonato Carioca em Natal, no dia 28 de janeiro, diante do Bovavista, time treinado por Joel Santana. 
 
Confira os valores: 
 
1º anel Leste
R$ 120 (int.) / R$ 60 (meia)  - Torcida Flamengo
 
1º anel Noroeste
R$ 130 (int.) / R$ 65 (meia) – Torcida Visitante
 
Setor Sul
R$ 80 (int.) / R$ 40 (meia) – Torcida Flamengo
 
Setor Hospitalidade (Open bar + Dj) 
 
R$ 210 (int.): ingresso inteira R$ 180 + serviços R$ 30
 
R$ 120 (meia)- ingresso meia R$ 90 + serviços R$ 30

Com aval do governador, FNF volta atrás e garante Clássico-Rei no domingo (22)

Compartilhe esse conteúdo

Depois de atender ao pedido da Polícia Militar para não acontecer o Clássico-Rei entre ABC e América no próximo domingo (22), por conta do clima de insegurança na cidade e possível falta de efetivo, o presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) José Vanildo voltou atrás e garantiu, no final da tarde desta sexta-feira (20), que o duelo acontecerá - com o aval do governador do Estado Robinson Faria. 
 
"Ato revisto. Teremos jogo. Parabéns, decisiva decisão do governador Robinson Faria", disse o dirigente em seu Twitter. E completou:  "Acertada a iniciativa e coragem do governador. O jogo vai acontecer. Vence a cidadania".
 
No início da tarde desta sexta-feira (20), a Polícia Militar pediu o adiamento do duelo por questões de segurança. O pedido tem uma razão clara: o momento de tensão que passa a cidade com os ataques e o destacamento da Polícia Militar para conter novos crimes, além da presença constante na tentativa de encerrar a rebelião na Penitenciária de Alcaçuz, que acontece desde 14 de janeiro.
 
"Nós pedimos o adiamento do clássico porque não podemos garantir a segurança do evento. E o Estatuto do Torcedor é bem claro quanto à presença da Polícia Militar nas partidas de futebol", explicou o major Eduardo Franco, assessor da PM. "Nós entendemos que seja interessante para a segurança pública o adiamento deste duelo", completou.
 
A FNF chegou a anunciar o cancelamento do duelo atendendo a recomendação da PM, mas, com o aval do governador Robinson Faria, anunciou que a partida acontecerá. 

FNF confirma adiamento do clássico entre América e ABC deste domingo

Compartilhe esse conteúdo

O presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), José Vanildo, confirmou nesta sexta-feira (20) o adiamento do duelo entre ABC e América que aconteceria neste domingo (22) na Arena das Dunas, às 16h. A FNF atendeu a um pedido feito pela Polícia Militar em ofício enviado nesta tarde e destacada pela reportagem do NOVO. A partida ainda não tem nova data para acontecer. 

A informação foi confirmada por José Vanildo em sua conta no Twitter. "América x ABC: está suspensa a sua realização. Recomendação da Polícia Militar", escreveu. 

O pedido tem uma razão clara: o momento de tensão que passa a cidade com os ataques e o destacamento da Polícia Militar para conter novos crimes, além da presença constante na tentativa de encerrar a rebelião na Penitenciária de Alcaçuz.

"Nós pedimos o adiamento do clássico porque não podemos garantir a segurança do evento. E o Estatuto do Torcedor é bem claro quanto à presença da Polícia Militar nas partidas de futebol", explicou o major Eduardo Franco, assessor da PM. "Nós entendemos que seja interessante para a segurança pública o adiamento deste duelo", completou.

PM pede adiamento do Clássico-Rei deste domingo

Compartilhe esse conteúdo

A Polícia Militar pediu nesta sexta-feira (20) o adiamento do Clássico-Rei entre América e ABC que aconteceria no domingo (22) na Arena das Dunas. O ofício com a solicitação do adiamento do duelo foi enviado nesta tarde pela PM para a Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF). A informação foi confirmada à reportagem do NOVO pela PM, mas negada, até o momento, pela FNF.

O pedido tem uma razão clara: o momento de tensão que passa a cidade com os ataques e o destacamento da Polícia Militar para conter novos crimes, além da presença constante na tentativa de encerrar a rebelião na Penitenciária de Alcaçuz.

"Nós pedimos o adiamento do clássico porque não podemos garantir a segurança do evento. E o Estatuto do Torcedor é bem claro quanto à presença da Polícia Militar nas partidas de futebol", explicou o major Eduardo Franco, assessor da PM. "Nós entendemos que seja interessante para a segurança pública o adiamento deste duelo", completou.

Apesar disso, o presidente da FNF José Vanildo disse não ter recebido qualquer notificação quanto a isso. "Não existe nada disso. Eu conversei na quarta-feira com o comandante da Polícia Militar e ele me garantiu o duelo. Essa possibilidade sequer foi ventilada", disse.

A partida entre América e ABC, válida pela terceira rodada do Campeonato Potiguar, já havia sido adiada do sábado (21) para o domingo (22), às 16h. Na quarta-feira, o presidente da FNF José Vanildo ventilou, através do twitter, a possibilidade do confronto ser adiado. mas confirmou o duelo após uma conversa com o comando da PM.

 

Ex-técnico Carlos Alberto Silva morre aos 77 anos em Belo Horizonte

Compartilhe esse conteúdo

O Brasil perdeu nesta sexta-feira um dos seus mais longevos e experientes treinadores. Afastado do futebol, Carlos Alberto Silva faleceu em Belo Horizonte nas primeiras horas do dia. O ex-técnico tinha 77 anos e a causa do seu falecimento ainda não foi revelada. 
 
A informação da morte de Carlos Aberto Silva foi confirmada pela agência de viagens Ibiza Turismo, empresa de propriedade do ex-treinador a qual ele vinha dedicando seu tempo após deixar de atuar diretamente no futebol. Ele, inclusive, chegou a ir à empresa nos últimos dias, segundo informações de uma funcionária
 
O trabalho mais emblemático da carreira de Carlos Alberto Silva foi à frente do Guarani, clube que o treinador conduziu ao título do Campeonato Brasileiro de 1978, naquela que é até hoje a maior conquista da história de um clube do interior paulista, com um elenco que contava com craques como Zenon e Careca. "Obrigado por tudo, mestre!", publicou o Guarani em seu perfil na rede social Twitter. 
 
Carlos Alberto Silva também teve passagem pela seleção brasileira. Ele comandou o time que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 1987 e também a prata na Olimpíada de 1988, quando a seleção caiu para a União Soviética na final - aquele time possuía jogadores que posteriormente se consagrariam no futebol, como Romário e Taffarel. 
 
O treinador mineiro dirigiu alguns dos principais clubes do futebol brasileiro. Carlos Alberto Silva passou por São Paulo, onde foi campeão paulista duas vezes, Atlético Mineiro, onde venceu o Campeonato Mineiro em uma oportunidade, Cruzeiro, Corinthians, Palmeiras e Santos, entre outros. 
 
O último trabalho de Carlos Alberto Silva como treinador foi em 2004, pelo América Mineiro. No ano seguinte, ele atuou no Atlético-MG como diretor de futebol. Já em 2014, fez parte, como um dos vice-presidentes, da chapa que venceu a eleição presidencial do mineiro Villa Nova. 
 
Além disso, Carlos Alberto Silva também trabalhou em clubes de fora do País. E seu maior êxito foi no Porto, onde venceu duas vezes o Campeonato Português, em 1992 e 1993 - ele também foi campeão nacional no Japão, pelo Yomiuri Kawasaki, em 1991.