Enem mobiliza, a partir de hoje, mais de 191 mil candidatos no RN

Compartilhe esse conteúdo

No primeiro dia de avaliação, hoje, 191.736 candidatos estão aptos a fazer a primeira parte do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Rio Grande do Norte. A expectativa sobre a prova é grande, principalmente entre os marinheiros de primeira viagem. O certame que dá acesso ao ensino superior acontece hoje e amanhã em todo o país.
 
Em dezembro, outros 5.150 candidatos irão fazer a prova no Rio Grande do Norte por causa das ocupações nas escolas públicas por alunos em protesto contra a MP do Ensino Médio e a PEC do Teto dos Gastos Públicos. 
 
Em todo o Brasil, segundo o Ministério da Educação (MEC), o adiamento vai atingir 364 locais de provas devido às ocupações de escolas, institutos e universidades federais.
 
Os estados do Paraná, com 77 ocupações, e Minas Gerais, com 59, têm o maior número de locais de provas ocupados. A medida vai alterar a data da prova para 240.304 candidatos.
 
As provas foram marcadas para os dias 3 e 4 de dezembro para os estudantes que tiveram a data adiada por causa da ocupação de escolas. Haverá ainda uma terceira data para a realização do Exame. O Ministério da Educação remarcou para os dias 13 e 14 de dezembro o período de aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa.
 
O Enem custa para o governo R$ 90 para os estudantes isentos de taxa de inscrição e R$ 72 para aqueles que pagaram. O custo de cada prova adiada deverá ser de cerca de 70% desse total, uma vez que neste final de semana o MEC deixará de gastar com fiscais de prova e outras despesas.
 
De todo modo, no dia de hoje a maior parte dos inscritos vai realizar o Exame. Handerson Leão, coordenador do CDF Colégio e Curso, observa, para quem vai fazer as provas no Rio Grande do Norte, que é preciso ficar atento ao horário de verão.
 
No estado potiguar, os portões das instituições que receberão os candidatos para a realização do Enem abrem às 11h e fecham ao meio-dia. O candidato deve observar o material que precisa levar para a prova e ao que não é permitido durante a aplicação do exame.
 
Para fazer as provas, a redação e preencher o cartão de respostas, o candidato terá de usar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente. Outra cor de tinta impossibilita a leitura óptica do cartão de respostas.
 
Não é autorizado o uso de celular ou qualquer aparelho eletrônico durante as provas. Os aparelhos terão de ser colocados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da cadeira até o final das provas.
 
Nas últimas edições do Enem, candidatos foram eliminados por postar imagens da prova em redes sociais. No que diz respeito à segurança para os dias de Enem, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) divulgou no início da semana o plano de atuação de suas tropas nos municípios potiguares.
Mil homens da Polícia Militar, dos Comandos de Policiamento Metropolitano (CPM), Policiamento do Interior (CPI) e do Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) serão deslocados, por dia, para os 410 locais de aplicação de prova no Rio Grande do Norte.
 
Além deles, alguns outros integrantes das demais forças do Estado, incluindo Corpo de Bombeiros, também vão trabalhar durante o fim de semana do Exame Nacional.
São 40 cidades do estado que vão receber as tropas da PM, sendo nove delas na Região Metropolitana de Natal e as outras 31 no interior.

Cinco mil fazem o Enem hoje no Rio Grande do Norte

Compartilhe esse conteúdo

A segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016, que acontece hoje e amanhã, dias 03 e 04 de dezembro, respectivamente, vai acontecer em quatro municípios do Rio Grande do Norte, segundo informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Um total de 5.150 inscritos poderão fazer as provas neste fim de semana. 
 
No Estado, o exame será aplicado nas cidades de Natal, Macau, Caicó e Pau dos Ferros. Ao todo, oito locais de prova serão utilizados e 139 salas de avaliação. Foram escolhidas duas escolas em cada um dos municípios listados para a realização do certame.
 
Na capital potiguar, as provas serão feitas em duas unidades privadas de ensino: Colégio Marista de Natal e Colégio Nossa Senhora das Neves. Os candidatos que prestarão hoje ao ENEM já sabiam que não iriam fazê-lo desde o dia 01 de novembro. Foi quando o Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por conta das ocupações em escolas listadas como locais do exame regular, deciciu postergar a data  das provas. Lembrando que a primeira etapa aconteceu nos dias 05 e 06 de novembro. Ainda segundo o Inep, só quem estava inscrito para avaliação nas escolas ocupadas poderá fazer o exame. Aqueles que, porventura, faltaram às provas em novembro, com isso, estão impedidos de prestar a segunda aplicação. A nova prova, por sinal, terá o mesmo modelo e nível de dificuldade que a do ENEM regular, mas com questões diferentes.
 
Em todo o Brasil, segundo o Ministério da Educação (MEC), são 277.624 candidatos farão a segunda aplicação da prova. Do total de participantes, 273.521 (98,52%) não puderam participar do Enem regular por causa das ocupações em escolas, universidades e institutos federais, e 4.103 (1,47%) foram afetadas por contingências como a interrupção do fornecimento de energia elétrica. 
 
Em relação ao custo da mudança, a reaplicação do exame nacional custará R$ 10.512.564,33, segundo o INEP. Os cálculos incluem os gastos com impressão, aplicação, correção e distribuição das provas e materiais administrativos. O valor é inferior ao inicialmente projetado pelo Ministério da Educação (MEC), de R$ 15 milhões. 
 
Farão provas os candidatos que tiveram a prova adiada devido a ocupações de escolas, universidades e institutos federais. Além desses estudantes, também prestarão exame os que tiveram a aplicação das provas prejudicadas por problemas de infraestrutura, como interrupção temporária do fornecimento de energia elétrica.
 
Todas as novas tecnologias de segurança implementadas em 5 e 6 de novembro também estarão presentes na aplicação deste fim de semana, caso da coleta do dado biométrico dos participantes nos dois dias de provas e do uso de detector de metal na entrada e na saída dos sanitários.
 
Mesmas regras da primeira prova
 
Da mesma forma que os candidatos que participaram do exame regular do exame, que aconteceu em novembro, os potiguares que irão fazer a segunda aplicação terão de tomar certos cuidados para não ter problemas com a prova. O INEP, por exemplo, manteve o horário de aplicação do primeiro exame. Os portões são abertos às 12h e fechados às 13h (horário de Brasília). Depois dos portões fechados, o exame começa a 13h30. Ou seja, como o Rio Grande do Norte não está seguindo o horário de verão, o candidato precisar chegar ao local da prova uma hora mais cedo. 
 
Além disso, o postulante a uma vaga na universidade precisa levar consigo um documento oficial com foto (RG, Carteira de Habilitação, Certificado de Reservista, Carteira de Trabalho, Certificado de Dispensa de Incorporação e Identidade expedida pelo Ministério da Justiça para estrangeiros são as identificações aceitas) e uma caneta esferográfica de tinta preta. 
 
No primeiro dia de prova, os candidatos deverão responder 45 questões de múltipla escolha das disciplinas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. O tempo total para realização é de 4h30. No segundo dia, a prova traz questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias. A redação também é realizada neste mesmo dia. O tempo disponível para o exame é de 5h30. Ainda segundo o INEP, os gabaritos das provas serão divulgados na quarta-feira, 07, na Página do Participante, na internet, e por meio do aplicativo Enem 2016.
 
NOVO e CDF comentam ao vivo e fazem a correção das provas a partir das 19h
 
A parceria entre NOVO e o CDF Colégio e Curso, denominada “Maratona Enem 2016”, vem veiculando videoaulas na plataforma digital do NOVO desde o início da semana. A parceria também ocorreu durante as provas da primeira aplicação do ENEM. 
 
Na edição deste sábado e também do domingo, os professores se aterão a fazer comentários  sobre as provas do Exame Nacional do Ensino Médio.A Maratona Enem 2016 tem o patrocínio da Miranda Computação e da Wizard Escola de Idiomas. Candidatos podem assistir videoaulas com dicas importantes ministradas pelos professores experientes do CDF. Hoje, os professores entrarão ao vivo para os comentários do primeiro dia de prova, entre 19h30 às 22h3. Amanhã, a mesma coisa no mesmo horário.

PSOL pede investigação da PGR contra ministro da Educação

Compartilhe esse conteúdo

O PSOL encaminhou na quinta-feira, 10, à Procuradoria-Geral da República uma representação na qual pede investigação contra o ministro da Educação, Mendonça Filho, por possível improbidade administrativa. O partido quer que a PGR investigue o ministro por ele ter dito que pedirá ao governo federal que entre com ação judicial para responsabilizar as entidades estudantis pelas despesas causadas em virtude do adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A bancada do PSOL na Câmara alega que a ocupação em escolas e universidades e, por consequência, o adiamento da prova, são consequências da atitude do ministro, que teria se recusado a negociar. Na avaliação do partido, ao responsabilizar as entidades pela não realização do exame, Mendonça tentou colocar "estudantes contra estudantes".

"Se alguém tem que devolver R$ 15 milhões aos cofres públicos, é o ministro da Educação, que foi o verdadeiro responsável pela não realização do Enem", afirmou em nota o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), um dos parlamentares que assina a representação O PSOL afirma que as reivindicações dos estudantes são justas e as ocupações legítimas.

Estudantes ocuparam escolas e universidades em protesto contra a PEC que cria um teto de gastos, a Medida Provisória que reformula o Ensino Médio e o projeto de lei da chamada "escola sem partido". As propostas estão em tramitação no Congresso Nacional. Em balanço divulgado na quinta, a União Nacional dos Estudantes (UNE) contabilizou 194 instituições de ensino superior ocupadas em todo o País. 

Críticas 

Nesta semana, o presidente Michel Temer disse ser contra o protesto e afirmou que não dá importância para as ocupações. "As pessoas ocupam fisicamente, entram nas escolas, mas se você for perguntar exatamente sobre o que estão combatendo, quais são os dispositivos do texto legal que estão sendo combatidos, não sei se todo mundo conhece, não", declarou. 

O presidente reiterou que os estudantes que não conseguiram fazer o Enem por causa das ocupações têm a alternativa de uma nova data para a prova. "Portanto, ninguém terá prejuízo, sem embargo dos chamados ocupantes terem prejudicado muito os que desejariam fazer as provas", criticou.

 

MEC pede que AGU tome providências para repor prejuízos de adiamento do Enem

Compartilhe esse conteúdo

O Ministério da Educação (MEC) pediu ontem (7) à Advocacia Geral da União (AGU) para que tome as medidas cabíveis a respeito dos prejuízos causados pelo adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para 271 mil estudantes. Segundo a pasta, a AGU deve identificar entidades que possam ter estimulado alunos a ocuparem escolas públicas.

O MEC estima que R$ 16 milhões devem ser gastos a mais para o adiamento do exame para parte dos candidatos. De acordo com a AGU, estudos internos ainda estão sendo feitos para verificar a efetividade desta cobrança.

Protestos

As provas foram adiadas para estudantes que fariam provas em 405 escolas, pois os prédios estão ocupados. Os estudantes que iriam fazer o Enem foram avisados por email e mensagem de texto sobre a mudança da data. Os novos exame para estes candidatos serão prestados nos dias 3 e 4 de dezembro.

Até a tarde de sexta (4), a lista de escolas ocupadas tinha 364 locais e as ocupações ocorrem em diversos estados do país. Os estados de Minas Gerais, com 88 ocupações, e do Paraná, com 76 ocupações, têm o maior número de escolas ocupadas. Os alunos protestam contra a proposta de emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos do governo federal pelos próximos 20 anos, a chamada PEC do Teto. Eles também criticam a reforma do ensino médio, proposta pela Medida Provisória (MP) 746/2016, enviada ao Congresso.

Boa alimentação ajuda você nas provas do Enem

Compartilhe esse conteúdo

O Enem está aí e, agora, você que vai fazer as provas tem que ficar atento a um detalhe importante: a alimentação, item importante para quem quer ter bons resultados e também faz parte da preparação. Portanto, leia abaixo sugestões importantes de especialistas de como se alimentar antes e durante as provas. 
 
Nesse planejamento, as refeições podem ter um papel importante para a manutenção da concentração do candidato. Além disso, consumir alimentos saudáveis e livres de gorduras, ao longo de toda a prova, também é uma medida importante para alcançar um bom resultado.
 
Segundo afirmou o nutricionista André Heibel em entrevista concedida ao NOVO, a alimentação tem efeito crônico no organismo. O especialista explica que isso depende de como o candidato se alimentou na semana, até mesmo no mês do exame: pode ter um efeito positivo ou negativo.
 
Quem consome muita comida industrializada, por exemplo, pode ter prejuízo no rendimento. Heibel recomenda cortar todo tipo de corante, adoçante e edulcorante.
Por outro lado, de acordo com ele, o suco de uva, por exemplo, é rico em resveratrol, que auxilia na memória. O chá verde tem bastante catequina, ajuda na concentração e no foco.
 
Outra dica é usar temperos como açafrão e pimenta do reino nos alimentos, que são antioxidantes e, segundo o nutricionista, protegem o cérebro de lesões por estresse.
No dia da prova, a recomendação do nutricionista para o almoço é pegar leve. André Heibel sugere consumir uma quantidade menor de carboidratos, comer mais tubérculos, arroz integral e uma boa fonte de proteína, como o salmão, que é rico em Ômega 3.
 
Para o lanche, embora muitos prefiram refrigerantes e salgados processados, a sugestão é levar um chá gelado, castanhas e chocolate 60%. Para quem não dispensa um sabor adocicado, é melhor levar frutas.
 
A recomendação para os estudantes sabatistas, que começam a prova às 18h do sábado, é associar a alimentação saudável com uma dose de café com leite para disfarçar o amargor.
 
Não faltam controvérsias a respeito da prática de atividades físicas nos dias do Enem. Para o nutricionista André Heibel, o exercício não deve ser cortado, desde que feito em ritmo razoável.
 
Além da alimentação, a dica do coordenador do CDF, Handerson Leão, é para que os candidatos durmam bem na noite anterior à prova. “Dormir bem, dormir cedo, sem atividades estressantes durante a noite. Quem dormir bem vai acordar bem e concentrado para a prova”, frisa.
 

4 dicas para as provas do ENEM

Compartilhe esse conteúdo

1) Saiba relaxar para não sabotar seu conhecimento
A ansiedade e o nervosismo causados pelo medo de fracassar tem como resultado o que mais se teme:  o desempenho do aluno cai e ele tem mais dificuldade de recordar as informações. A dica é respirar fundo e relaxar. Lembre-se, toda a informação que você precisa para realizar a prova está lá, gravada em seu cérebro. 
 
2) Confie em tudo o que você fez durante o ano
Você precisa entender que o que dava para fazer, já foi feito. Agora é hora de confiar em você e mandar bem na prova. . O  cérebro precisa de um descanso para acessar tudo que já armazenou no ano inteiro. Ele precisa estar em paz e tranquilo para ter o melhor desempenho possível.
 
3) Na hora da prova, controle sua mente
Se no momento de resolução das questões, você por acaso perceber que está nervoso, que te deu um branco e que não consegue se lembrar das respostas, fale para você mesmo: essa é uma situação de estresse. Respire com calma, tome uma água e lave o rosto se for preciso. Esse é o momento de você tem que ser dono das suas emoções. 
 
4) Comece respondendo as questões mais fáceis
Você terá, em média, apenas 3 minutos para responder cada questão e o Enem tem um critério de avaliação que se você errar as questões mais fáceis e acertar as mais difíceis, ele considera que você acertou na base do chute e acaba diminuindo a sua nota. Por isso, vale muito a pena começar respondendo as questões que você já sabe.