Artistas da Finlândia e Dinamarca desembarcam neste sábado para o Glomus

Compartilhe esse conteúdo

Natal se prepara para receber uma verdadeira ONU da música mundial. Quase 200 músicos de 29 países dos cinco continentes estarão em Natal para um evento grandioso realizado a cada dois anos no mundo e pela primeira vez na América do Sul: o Glomus 2017. A programação segue em anexo.

Uma série de concertos gratuitos será realizada em espaços da capital potiguar a partir do dia 11, durante nove dias. Mas a prévia do evento está agendada já para este sábado, dia 7, quando um intercâmbio internacional totalmente pensado para dezenas de crianças carentes do bairro de Bom Pastor será concretizado.

O Glomus 2017 está interessado em projetos voltados ao desenvolvimento social. Então a UFRN – instituição responsável por atrair o Glomus para Natal – idealizou este encontro dos músicos estrangeiros com 60 crianças e adolescentes atendidas por ONGs que trabalham com o ensino da música.

Serão 18 alunos e professores da Academia Sibelius de Helsinki, Finlândia, e da Escola Real de Dança da Dinamarca durante três dias, entre 7 e 9 de janeiro, das 10h às 17h, em contato direto com 40 crianças atendidas pela ONG Atitude Cooperação e outras 20 da ONG Oficina de Sonhos, do Conexão Felipe Camarão e da Orquestra Funffec de Cordas, do município de Luís Gomes.

Os três dias de experiência serão voltados à composição coletiva de uma peça que integra música, dança e teatro a ser apresentada na abertura do Glomus em Natal, dia 11 de janeiro, às 20h, no Hotel Holiday Inn, em Lagoa Nova. A intenção é que o processo dessa composição seja uma via de mão dupla, de aprendizado e troca mútua de experiências.

Do sonho em conhecer um shopping para conhecer o mundo

“Meu sonho é conhecer o Midway”, disse uma criança ao chegar à ONG Atitude Cooperação, dez meses atrás. “A realidade desses meninos e meninas é praticamente os quarteirões do bairro Bom Pastor. Então, diante do sonho dessa criança de apenas 10 anos você tem ideia do impacto que esse intercâmbio internacional pode gerar para eles”, comemora o coordenador da ONG, Ewerton Cortez.

Ewerton ressalta que as 800 crianças atendidas hoje pela ONG, fundada há dez anos para servir de “braço” às ações sociais promovidas pela Unimed, nasceram em um dos bairros mais carentes de Natal, o Bom Pastor, e têm poucas oportunidades educacionais e, com o Glomus, terão a chance de vivenciar um encontro com alguns dos professores de música mais renomados do mundo, em um trabalho conjunto de composição que será apresentado para quase mil pessoas.

“Eles são muito presos à realidade que os cerca, de pouquíssimas perspectivas. Oferecemos oportunidades de esporte e cultura, mas quando professores internacionais convivem exclusivamente com eles em uma sala fechada por três dias, é uma porta imensa que se abre; uma oportunidade de conhecer o mundo. Então essa foi uma excelente ideia da UFRN em abrir essas janelas de um novo futuro para essas crianças”, conclui.

A Global Music Network (Glomus) é uma rede internacional fundada por três academias nórdicas de ensino superior em música, teatro e dança, espalhadas nos cinco continentes. A cada dois anos é realizada, de forma itinerante, um encontro onde universidades estabelecem comunicação através da arte. A UFRN foi a única instituição sulamericana a conquistar espaço junto à Glomus. Isso graças à infraestrutura e à produção musical voltada a projetos sociais desenvolvidos pela Universidade.