Violência no trânsito mata mais que doenças cardíacas

Compartilhe esse conteúdo

A cidade de Natal registrou uma média de 21 acidentes diários de trânsito em 2014, segundo levantamento feito pela Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU). Os dados fazem parte do primeiro anuário estatístico feito sobre as ocorrências nas vias públicas da capital. 

O perfil dos acidentes envolveu homens na faixa entre 20 e 40 anos, que causaram colisões transversais – parte da frente de um veículo atinge a lateral de outro –, durante o dia e, geralmente, nos bairros da zona Sul de Natal. Em todo o ano de 2014, o município contabilizou 7,7 mil acidentes, com 32 mortos e 2,3 mil pessoas feridas.

O anuário foi lançado oficialmente ontem, na sede da STTU, e traz informações sobre os acidentes ocorridos entre os anos de 2013 e 2014. A pesquisa mostra um aumento de 5,36% no número de acidentes entre os anos pesquisados. Há dois anos, foram contabilizadas 7,3 mil colisões nas vias do município.

Segundo Elequicina dos Santos, secretária municipal de Mobilidade Urbana, os dados conflitam com o senso comum das ações de fiscalização no tráfego. 

De acordo com a base de dados, mais de 70% dos registros de incidentes no tráfego em Natal ocorreram de manhã e à tarde. Somente 3% dos acidentes de trânsito aconteceram durante o período da madrugada. “A pesquisa mostra que as blitzes noturnas, apesar de eficazes, precisam também se intensificar nestes dois momentos do dia”, afirma.

O bairro com maior número de colisões foi Lagoa Nova, na Zona Sul, com 1,2 mil casos em 2014. A quantidade é o dobro dos casos do segundo lugar, Capim Macio, também na mesma região, com incidência total de 514 registros.

De acordo com Elequicina dos Santos, o anuário vai servir de referência para o planejamento das atividades de fiscalização e para reestruturar a malha viária da cidade. 
“Com os números, sabemos agora em quais áreas podemos atuar, planejando a instalação de novos equipamentos, fiscalização e a melhoria das atividades de educação no trânsito”, aponta.

O gerente do setor de estatística da STTU, Vicente de Sousa Rêgo, explica que a análise estatística pode, inclusive, fornecer subsídios para a mudança nas geometrias de vias públicas, como o aumento de pistas, por exemplo. “A estatística é fundamental para elaboração de políticas públicas para o trânsito do município. Vai servir para garantir mais segurança e fluidez do tráfego”, afirma.

Em 2014, a via com maior incidência de acidentes foi a área urbana da rodovia BR-101 (616), entre Natal e Parnamirim. Surgem em seguida as avenidas Roberto Freire (434), João Medeiros Filho (333), Prudente de Morais (294) e Salgado Filho (250).

Ainda de acordo com o setor de estatística, o sistema de gestão de dados de trânsito apresentou problemas ao longo dos últimos meses, mas a previsão é de que o relatório do primeiro semestre de 2015 seja apresentado na primeira quinzena de outubro. Além disso, a pesquisa é fruto da integração dos dados da Polícia Rodoviária Federal, do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual e da Secretaria de Mobilidade Urbana.

Motocicletas lideram os casos com mortes

O anuário estatístico de acidentes aponta que 32 pessoas foram mortas nas vias municipais em 2014 em decorrência de acidentes de trânsito. O estudo detalha que 43,75% dos óbitos aconteceram pela manhã. Os pontos com maior incidência de colisões com vítimas fatais aconteceram em dois trechos de rodovias federais – BR 101 (Zona Sul) e BR 226 (Zona Norte). 

As motocicletas lideram as estatísticas da violência no tráfego. Este tipo de veículo resultou em 14 mortes em 2014. “O município precisa impor mecanismos mais rígidos de fiscalização, como a instalação de um maior número de câmeras de monitoramento para reduzir esta quantidade de mortes e lesões corporais”, detalha. 

Frank Albuquerque, delegado titular do Distrito Especializado em Acidentes de Veículos (DEAV), revela que hoje a unidade tem 90 inquéritos abertos sobre acidentes de trânsito, sendo que 40% registram óbitos.

No último inquérito aberto na delegacia, ontem pela manhã, a investigação apura um caso de lesão corporal grave em razão do atropelamento do oficial de justiça José Filgueiras, 37. Ele foi atingido por um automóvel Mercedes-Benz enquanto praticava exercícios na Avenida Alexandrino de Alencar. “Estamos procurando testemunhas e registros de câmeras no local do acidente”, explica o delegado. 

Secretário defende fiscalização ainda mais rigorosa contra álcool

Segundo o secretário municipal de Saúde, Luiz Roberto Fonseca, a violência no trânsito é, hoje, o principal custo para a saúde pública. “É uma epidemia. O trânsito mata mais que as doenças cardíacas”, afirma. 

De acordo com o município, o custo de uma morte no trânsito é de R$ 600 mil. “Somente com o tratamento médico, no caso dos feridos, o gasto público é de R$ 300 mil”, reforça, revelando que o custo refere-se ao atendimento do acidentado pelo Samu e a assistência que ele recebe nas unidades da rede pública de saúde. 

Nos primeiros seis meses de 2015, segundo dados preliminares do Ministério da Saúde, foram registrados 67 óbitos em acidentes de trânsito em todo o Estado. O secretário de Saúde reforça a necessidade de intensificar medidas de fiscalização, bem como ampliar os custos da Lei Seca, que pune os motoristas que ingeriram álcool.

Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o Rio Grande do Norte apresentou uma redução de 18,24% nas indenizações pagas por mortes no trânsito no primeiro semestre de 2015 em comparação com o mesmo período do ano passado. O valor pago através do seguro obrigatório de veículos automotores somou este ano R$ 5,197 milhões. 

Foram contabilizadas 385 mortes entre janeiro e junho último, o que representa uma média de dois casos por dia nas estradas potiguares. Em 2014, foram 426 mortes em acidentes, o que representou um total de R$ 5,751 milhões em indenizações pagas. 

De acordo com a seguradora Líder, responsável pelo pagamento das coberturas de acidentes de trânsito, as motos e motonetas lideram as estatísticas de mortes em todo o Rio Grande do Norte. Mais de 60% das indenizações pagas são referentes a este tipo de veículo. 

 

 

 

Condutores estão mais obedientes à Lei Seca, diz coordenador

Compartilhe esse conteúdo

O coordenador da Operação Lei Seca no RN, capitão Isaac Paiva, avaliou pequeno o nível de desrespeito a Lei Seca quando comparado a quantidade de condutores fiscalizados com o número daqueles que foram autuados por desobedeceram a legislação de trânsito. O reforço na prevenção de acidentes de trânsito foi intensificado pela equipe da Operação Lei Seca do Detran/RN, que na madrugada de hoje (14), realizou duas blitzen em pontos distintos de Pirangi abordando cerca de 1.180 pessoas. 
 
"A quantidade de autuações foi proporcionalmente pequena ao número de condutores abordados, o que demonstra que pelo menos em alguns eventos específicos, como esse do verão de Pirangi que as pessoas sabem que não têm como sair do local sem serem fiscalizadas, o trabalho vem surtindo efeito, pois os condutores têm evitado beber e dirigir nesses casos", comentou o capitão. 
 
As blitzen foram montadas ao longo da RN 063, sendo uma em frente ao Restaurante Barramares e a segunda na descida da ponte de Pirangi no sentido praia de Búzios. Ao todo foram notificados 40 condutores por estarem conduzindo veículo automotor sob efeito de álcool, sendo que dois deles foram enquadrados em crime de trânsito, foram presos e conduzidos a Delegacia de Plantão Zona Sul. Na ocasião, um condutor tentou furar o bloqueio da blitz, foi perseguido e acabou colidindo o veículo com uma mureta de proteção, sendo preso e em seguida autuado em vários artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Operação Zero Álcool autua condutores e um é preso por embriaguez

Compartilhe esse conteúdo

Policiais militares lotados no 1° Distrito Policiamento Rodoviário Estadual (1º DPRE), realizaram na madrugada desta sexta-feira (23) a Operação Zero Álcool no prolongamento da Avenida Prudente de Morais, com o objetivo de combater a condução de veículos automotores após a ingestão de bebidas alcoólicas.

Na ocasião, alguns condutores foram autuados com base no art. 165 - A do Código de Trânsito Brasileiro - CTB ("recusar-se a ser submetido a teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa"), e um condutor foi preso com base no art. 306 do CTB ("conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência") pois, apresentou um resultado de 0,68 mg/l.

Segundo o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), as ações serão constantes. O valor da multa para quem for autuado com base nos artigos é de R$ 2.934,70.

Quadriciclos devem ser emplacados e licenciados, determina Detran

Compartilhe esse conteúdo

O Departamento Estadual de Trânsito do RN publicou na quarta-feira (21) uma portaria regularizando a exigência de registro e licenciamento dos quadriciclos para circularem em vias públicas. A norma segue a Resolução do Contran 573/2015, que estabelece requisitos de segurança e circulação para esse tipo de veículo. O prazo para regularização dos veículos será de 30 dias a partir da data da publicação.
 
Os quadriciclos continuam proibidos de circular por rodovias estaduais e federais. Segundo a portaria, ficam proibidas a transformação de outros tipos de veículos em quadriciclos e também a circulação em vias públicas de veículos similares sem legalização. "As exigências incluem aspectos importantes. Porque não é só necessário fazer o registro e ter o licenciamento, mas os condutores também devem atender aos itens de segurança exigidos", comenta o diretor geral do Detran, Marco Medeiros.
 
Pela Resolução do Contran, os quadriciclos só poderão circular por vias urbanas se estiverem emplacados com placa de identificação traseira, como ocorre como as motos. Além disso, o condutor tem que ser maior de idade e ter carteira nacional de habilitação do tipo B e a garupa precisa ter mais de 7 anos de idade. Ambos devem obrigatoriamente utilizar capacetes com viseira ou óculos protetores.
 
Para registrar o quadriciclo, o proprietário do veículo deve ir ao Detran ou uma das Ciretrans com a nota fiscal original carimbada pela Secretaria Estadual de Tributação, Identidade e CPF do proprietário e comprovante de residência. No caso do proprietário Pessoa Jurídica, precisa apresentar o CNPJ, contrato social, Identidade e CPF do representante legal da empresa e comprovante de residência.
 
A portaria pode ser encontrada no site do Detran/RN.

O serviço de trânsito que ganhou as redes sociais no RN

Compartilhe esse conteúdo

Quando o radialista Hudson Silvestre, 40, criou o Via Certa Natal, há seis anos, sua intenção era uma só: prestar um serviço de informações à população natalense sobre o trânsito da cidade. O primeiro passo foi criar uma conta no Twitter, mídia social que na época estava no seu auge. O tempo foi passando e, hoje, o Via Certa se tornou um verdadeiro veículo de comunicação, uma realidade presente na internet, no rádio e até na televisão. São pelo menos quatro emissoras radiofônicas com a presença diária de boletins do Via Certa em suas programações, duas emissoras de TV, sem contar o portal de notícias da empresa, um canal no Youtube e presença em várias redes sociais.
 
O Via Certa conta com quase 50 mil curtidas no Facebook, perto de seis mil seguidores no Instagram e mais de 90 mil no Twitter, que continua sendo o carro-chefe da equipe. São 12 mil inscritos e mais de 10 milhões de visualizações registradas no canal do Youtube. O portal possui diariamente uma média entre 25 e 30 mil visitas, tendo picos de 60 mil, em caso de assuntos de maior destaque, como enchentes ou acidentes graves. Nos recentes ataques de criminosos, no estado, o portal chegou a 350 mil visitantes.
 
Mesmo com esses números, Hudson não sente ainda que sua criação é um sucesso. Para ele, o Via Certa ainda é visto com desconfiança, sobretudo por parte do mercado de comunicação local. “Eu não acho que o Via Certa é um sucesso. Acho que as pessoas ainda nos enxergam com um tom de preconceito”, conta.
 
A ideia da criação do Via Certa foi, além de prestar um serviço, suprir o ócio que Hudson tinha à época. Ele havia sofrido um AVC há cerca de dois anos e estava impossibilitado de trabalhar. Viu naquele perfil do Twitter uma oportunidade de fazer algo, nas suas palavras, útil. A primeira equipe contava com cinco pessoas, incluindo Hudson. Em determinado momento foram 11 e hoje são seis membros. Do grupo original apenas uma repórter permanece com Hudson.
 
“Quando comecei, eu não via nenhum veículo de comunicação da cidade informando sobre o trânsito em tempo real. Sou paulistano e via praticamente todas as rádios em SP e muitos perfis na internet, falando sobre a situação do trânsito. Achei isso um nicho por aqui”, contou o radialista e jornalista.
 
“A princípio minha intenção era só falar sobre trânsito, não era para ganhar dinheiro com isso. Era só uma prestação de serviço porque eu sofri um AVC e passei quatro anos sem poder trabalhar. Para não ficar parado, e como o mercado aqui não me conhecia porque eu era de fora, resolvi criar esse perfil. Mesmo não tendo nenhum amigo aqui, por incrível que pareça, o Via Certa começou a ser compartilhado no Twitter”, lembrou Hudson Silvestre.
 
A ajuda do antigo Diário de Natal, jornal que atuava na cidade, impulsionou o novato Via Certa. Uma reportagem de duas páginas, no domingo, ampliou de apenas 100 seguidores para mil em apenas dois dias após a publicação da matéria. Havia apenas algumas semanas que o perfil estava no ar, naquela oportunidade.
 
Mas o que fez o Via Certa subir de vez no quesito popularidade foi uma campanha contra o aumento do combustível, no ano seguinte à sua fundação, em 2011: “Combustível mais barato já”, conhecida pela hashtag #combustivelmaisbaratojá. O criador do movimento foi exatamente Hudson Silvestre, o que chamou muito público para o Via Certa.
 
“O que fez a gente ficar famoso não só em Natal como em todo o país foi uma campanha nossa chamada ‘Combustível Mais Baratos Já’. Fui eu que criei e ela estourou no país. Foram mais de 80 mil replicações, segundo o Estadão. Dei entrevista a vários jornais. Isso fez a gente [o Via Certa] ficar muito conhecido. Chegamos a três mil seguidores, no Twitter”, lembra. Desde então o Via Certa vem crescendo e já está consolidado no mercado de comunicação local.
 
Sucesso e parceria com a Mulher Vulcão
 
No decorrer de seus seis anos, o Via Certa Natal possui vários cases, projetos que chamaram a atenção e geraram muita audiência para a empresa. Um dos mais bem sucedidos nessa lista foi a criação da “Mulher Vulcão”, uma moça de “porte avantajado”, nas palavras de Hudson Silvestre, fundador do site especializado em trânsito, que atrai o público quando ela resolve andar de biquini, na rua.
 

mulher_vulcao.jpg


Mulher Vulcão
 
Hudson Silvestre já contou com o auxílio da Mulher Vulcão, nome sugerido por ele mesmo, para fazer algumas campanhas de educação no trânsito, exatamente pela atenção que ela provoca.
 
“Um fato que fez o Via Certa crescer muito foi de humor. Recebi várias fotos de uma mulher com uma bunda muito grande tomando sol na Praia do Meio e o pessoal perguntava quem era. Mas como a gente ia abordar isso? Não tinha nada a ver com trânsito, mas eu tinha vontade de falar sobre o assunto. Passei quase seis meses estudando como podia responder as pessoas que perguntavam quem era aquela mulher usando linguagem para o trânsito”, disse.
 
Foi então que ele pensou em uma campanha. A ideia era a mulher, apenas com um biquíni fio dental, atravessar uma via movimentada pela faixa de pedestre, incentivando assim as pessoas a usarem o espaço adequado. Após todos do Via Certa concordarem com o projeto, o próximo passo, o mais difícil, lembra Hudson Silvestre, seria convencer a moça. Uma procura nas mídias sociais, sem sucesso, fez a equipe ir até a Praia do Meio, onde encontraram  Sheila de OliveiraSoares, 31, tomando banho de sol.
 
“O primeiro contato foi meio difícil porque ela não acreditava que eu fosse um jornalista. Ela pensava que eu fosse um cara tentando se aproveitar. Eu então fiz uma proposta: ‘Oh, você vai ver que sou jornalista. Amanhã você ligue no Balanço Geral do Salatiel que vou mandar um abraço para você. Aí você vai ver que estou falando a verdade’. Quando mandei o abraço, depois do programa ela mesma me ligou”, recorda o jornalista.
 
Após prepararem a campanha, com um vídeo de chamada e tudo, no portal e nas redes sociais, eles partiram para a prática. Ela primeiro atravessou uma faixa de pedestres na Praia do Meio, onde chamou bastante atenção dos turistas. Mas foi na sinalização de trânsito localizada no Midway Mall que o sucesso veio. Uma multidão se formou na calçada do shopping para ver a Mulher Vulcão atravessar as faixas de pedestres e a passarela que existem no local. Houve até uma pequena batida entre dois carros porque os motoristas, conta Hudson, ficavam distraídos.
 
O sucesso rendeu frutos não só para o Via Certa, que ficou bem mais conhecido, ganhou milhões de visualizações no Youtube – “Vamos para sete milhões de visualizações de todo o Brasil [com o vídeo]”, conta ele –, mas também para a própria Mulher Vulcão. “Ela recebeu muitos convites: passou um dia como dançarina do Grafith, foi garota propaganda da campanha da gordofobia. Hoje ela faz vídeos [no Youtube]”, diz.
 
Via Certa e seus cases
 
O Via Certa têm vários projetos e reportagens de sucesso. Por exemplo, foi um dos primeiros veículos de comunicação locais a trazer a público o trabalho do então tenente Styvenson, o antigo coordenador da Operação Lei Seca, no estado. Após uma verdadeira caçada ao hoje capitão da Polícia Militar, na madrugada de domingo para segunda-feira do carnaval de 2014, finalmente a reportagem do Via Certa encontrou a blitz e um microonibus repleto de pessoas detidas por dirigirem sob efeito de álcool. Foi o início da popularidade do capitão.
 
Outro “case” do portal foi o músico Alan Persa, que tocava na calçada do Midway. Segundo Hudson, ele foi o primeiro a fazer uma reportagem com o artista, durante um protesto que ocorria no local. A partir da matéria, Alan ficou conhecido, concedeu mais entrevistas a outros veículos e hoje faz shows fora das ruas.
 
Nem só de sucessos vive o Via Certa. Hudson diz que nos últimos seis anos ele já errou, como o boato de uma cratera na BR-101 que ele acreditou e publicou ou outros projetos que não deram certo. Na parceria que o Via Certa e o NOVO começam agora, a ideia é aproveitar os anos de sucessos dos dois veículos.
 
“Estou disposto a ouvir sugestões e acho que será um aprendizado de ambas as partes. Quero focar muito em mobilidade urbana e educação no trânsito. Eu estudo para isso e tenho muitas coisas a sugerir no jornal e também a ouvir. Tenho certeza que vai ser proveitoso para o leitor”, afirmou Hudson. Por enquanto, NOVO e Via Certa estão utilizando material um do outro em seus portais, mas Hudson diz que algumas ideias devem se transformar em projetos no futuro próximo.
 
 
 

Veja as mudanças do trânsito para o Carnatal que começa nesta quinta (1º)

Compartilhe esse conteúdo

O Carnatal começa nesta quinta-feira (1º) e se estende até o domingo (4) e, com isso, o trânsito no entorno da Arena das Dunas vai sofrer alterações, começando com o fechamento dos acessos pelas Avenidas Lima e Silva, Prudente de Morais, túnel da. Romualdo Galvão e Viaduto do 4º Centenário, a partir das 15h nesta quinta e sexta. Sábado e domingo o fechamento dos acessos a essas vias será a partir das 13h.
 
A Av. Lima e Silva será interditada entre os viadutos do 4º Centenário e Estaiado. Como alternativas para acessar a BR-101 Sul, o motorista pode entrar da Av. Prudente de Morais na Rua São José e, em seguida, na Rua Raimundo Chaves – onde passa pelo túnel e entra na marginal da rodovia federal.
 
Já para chegar a Av. Prudente de Morais, o motorista pode retornar no Túnel da UFRN, Marginal da BR-101, Rua Ataulfo Alves, Rua Bento Gonçalves e entrar na Av. Prudente de Morais.
 
 
Linhas de ônibus
 
Com a interdição, sete linhas de ônibus sofrerão desvio nos seus itinerários:
 
A linha 08 (Redinha/Mirassol) muda de itinerário apenas no sentido Av. Prudente de Morais entrando no Túnel da UFRN, Marginal da BR-101, Rua Ataulfo Alves, Rua Bento Gonçalves, Av. Prudente de Morais, Av. Amintas Barros, Av. Sen. Salgado Filho, Av. Miguel Castro de onde segue normalmente.
 
A linha 30 (Felipe Camarão/Pirangi) muda de itinerário apenas na volta para Felipe Camarão a partir do Anel Viário da UFRN, onde acessa a Rua Djalma Maranhão, Rua da Saudade, Av. Xavier da Silveira, Av. Nascimento de Castro, Av. Prudente de Morais, Av. Miguel Castro – onde segue seu trajeto normal.
 
Já a linha 31 (Felipe Camarão/Pirangi) sofre mudanças apenas na ida para o Campus Universitário, onde acessa a Av. Prudente de Morais, Av. Amintas Barros, Av. Sen. Salgado Filho e segue o percurso normal.
 
Por sua vez, as linhas 33 (Planalto/Praia do Meio) e 44 (Rocas/Cidade Satélite) desviam no sentido Natal Shopping a partir da Av. Prudente de Morais, entrando na Av. Amintas Barros, Av. Sen. Salgado Filho, Av. Miguel Castro de onde segue normalmente. Já no sentido Petrópolis, a linha muda na Marginal da BR-101 entrando no Túnel da UFRN, Marginal da BR-101, Rua Ataulfo Alves, Rua Bento Gonçalves, Av. Prudente de Morais voltando ao itinerário normal.
 
a linha 33A (Planalto/Praia do Meio) segue o itinerário normal no sentido Mãe Luíza até a Av. Prudente de Morais, onde entra na Rua Militão Chaves, Marginal da BR-101, Túnel da UFRN, Marginal da BR-101 e segue normalmente pela Av. Sen. Salgado Filho. No retorno ao Planalto, a linha não sofre mudanças.
 
Por fim, a linha 66 (Ponta Negra/Cidade da Esperança) muda apenas no retorno a Ponta Negra, onde acessa a Av. Antônio Basílio, Av. Rui Barbosa, Rua da Saudade e segue o seu itinerário normal.
 
Em caso de dúvidas os usuários podem ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo Twitter oficial, o @156Natal.