Operação Lei Seca no verão começou por Pirangi

Compartilhe esse conteúdo

O Departamento de Trânsito do estado (Detran/RN) informou que entre a noite de ontem (3) e a madrugada desta quarta-feira, foram autuados 15 condutores por desrespeito à Lei Seca e cinco outros foram multados por infrações diversas. A ação ocorreu na praia de Pirangi, litoral Sul, onde foi iniciada a série de ações com a deflagração da Operação Verão 2017.
 
De acordo com o coordenador da Operação Lei Seca do RN, capitão Isaac Paiva, a ação abordou ainda na orla diversos suspeitos no sentido de também inibir atos criminosos na área litorânea sul. "Essa foi uma espécie de Operação Bairro Seguro na região das praias. O intuito principal é proporcionar segurança para os moradores e veranistas, através de patrulhamento e abordagens, porém nunca esquecendo da parte de alcoolemia que é o foco das nossas operações", explicou. 
 
A Operação Lei Seca do Detran/RN está agindo no sentido de levar segurança ao litoral potiguar com ações de patrulhamento, abordagens e fiscalização de tráfego. Outras ações do gênero serão realizadas ao longo do litoral do estado.

Condutores estão mais obedientes à Lei Seca, diz coordenador

Compartilhe esse conteúdo

O coordenador da Operação Lei Seca no RN, capitão Isaac Paiva, avaliou pequeno o nível de desrespeito a Lei Seca quando comparado a quantidade de condutores fiscalizados com o número daqueles que foram autuados por desobedeceram a legislação de trânsito. O reforço na prevenção de acidentes de trânsito foi intensificado pela equipe da Operação Lei Seca do Detran/RN, que na madrugada de hoje (14), realizou duas blitzen em pontos distintos de Pirangi abordando cerca de 1.180 pessoas. 
 
"A quantidade de autuações foi proporcionalmente pequena ao número de condutores abordados, o que demonstra que pelo menos em alguns eventos específicos, como esse do verão de Pirangi que as pessoas sabem que não têm como sair do local sem serem fiscalizadas, o trabalho vem surtindo efeito, pois os condutores têm evitado beber e dirigir nesses casos", comentou o capitão. 
 
As blitzen foram montadas ao longo da RN 063, sendo uma em frente ao Restaurante Barramares e a segunda na descida da ponte de Pirangi no sentido praia de Búzios. Ao todo foram notificados 40 condutores por estarem conduzindo veículo automotor sob efeito de álcool, sendo que dois deles foram enquadrados em crime de trânsito, foram presos e conduzidos a Delegacia de Plantão Zona Sul. Na ocasião, um condutor tentou furar o bloqueio da blitz, foi perseguido e acabou colidindo o veículo com uma mureta de proteção, sendo preso e em seguida autuado em vários artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Após polêmica, PM quer tirar Styvenson da Lei Seca

Compartilhe esse conteúdo

O Capitão Styvenson Valentim pode ser afastado das operações da Lei Seca enquanto seu processo de responsabilidade for analisado. O caso se refere aos polêmicos áudios divulgados nas redes sociais, onde o policial militar critica a atuação da Polícia Civil do RN.

Na tarde de hoje o Comando Geral da Polícia Militar do RN enviou a Secretaria de Segurança o pedido de devolução de Stvyvenson para a PM. O oficial está emprestado para o Detran RN, onde coordena as operações da Lei Seca.

A solicitação deve ser analisada pela secretaria e pelo Governador nos próximos dias. Ainda não há previsão de quando deve ser emitida a resposta do órgão ao pedido.

Caso o afastamento seja aprovado, o Capitão Styvenson deve ficar afastado das operações da Lei Seca por um período entre um e dois meses. O tempo corresponde ao andamento do processo de responsabilidade que foi publicado ontem. O resultado da ação deve sair em 30 dias, podendo ser prorrogada por mais 30.

De acordo com o Tenente Cristiano Couceiro, a solicitação foi feita para preservar a imagem do oficial. "Atualmente o Capitão está emprestado para o Detran, a frente das operações da Lei Seca. O comando pediu sua devolução para preservar a imagem do militar e evitar que ele passe por outras crises de imagem enquanto o caso é analisado", explica.

Entenda o caso

Na última semana áudios em que o Capitão Styvenson critica a atuação da Polícia Civil vazaram nas redes sociais. Na gravação de quase dois minutos, o oficial orientava uma mulher sobre como proceder em um caso de acidente de trânsito.

No decorrer da conversa, o capitão fala, entre outras coisas que a Polícia Civil do RN “ganha muito bem para não fazer nada. Delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada. Delegado acha que tem poder sobrenatural, entendeu?”

O Capitão Styvenson publicou uma nota em sua página no Facebook, onde confirma a autenticidade dos áudios e reforça as críticas, mas pede desculpas.

“Admito toda minha intempestividade ao generalizar a minha insatisfação a todos os policiais civis, mais específico aos delegados civis. Reconheço a minha explosão emotiva por buscar um serviço público melhor, e por isso, aos policiais civis que de fato trabalham e honram o cargo, minhas sinceras desculpas por ter colocado os senhores nos rol dos funcionários públicos preguiçosos, dos parasitas, e que todos sabem que existem”declara o oficial.

O capitão finaliza a nota afirmando que não retira uma vírgula do que disse a respeito dos funcionários públicos que recebem o salário, mas não trabalham por melhorias.

O Sinpol/RN (Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do) publicou uma nota em resposta aos áudios. O sindicato declara repúdio às afirmações do policial.

A nota afirma que “tal declaração é despropositada e, principalmente, desrespeitosa para com uma categoria que tanto faz pela segurança pública do Rio Grande do Norte”.

Ao longo do documento, o sindicato também acusa o policial de usar as redes sociais para sua autopromoção.

 

Styvenson já reteve até bicicleta na Lei Seca

Compartilhe esse conteúdo

Cinco pessoas foram presas pela Lei Seca durante Operação Reveillon

Compartilhe esse conteúdo

Policiais dos cinco distritos do Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE) realizaram, no período de 28 de dezembro a 4 de janeiro, a Operação Reveillon 2016 com a intensificação da fiscalização nas principais rodovias estaduais do RN. Diariamente, uma média de setenta policiais de trânsito estiveram atuando na operação.
 
Durante a ação, foram abordados 1.727 veículos, o que resultou na remoção ao pátio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de 27 veículos, na realização de 354 exames etílicos, confecção de 256  autos de infrações de trânsito e no recolhimento de 20 carteiras de habilitação nacional. Sete pessoas foram detidas em flagrantes, sendo cinco por estarem conduzindo veículos sob o efeito de bebidas alcoólicas e dois por estarem com motocicleta com registro de roubo e portando drogas.
 
Dois acidentes com vítimas fatais foram oficialmente registrados, neste período, na área de atuação do CPRE. Sendo um no acesso a cidade de Upanema e o outro em Japi. Ambos os acidentes envolveram colisões entre carro e moto. Os policiais ainda estão apurando o registro de um terceiro acidente, ocorrido entre os municípios de Viçosa e Porta Alegre, para que possa ser confirmada a localização exata e, posteriormente, ser incluído no relatório.
 
“Os dados demonstram que nossas rodovias, em especial da região Oeste, apresentaram, mais uma vez, um intenso fluxo de veículos, em função das festividades de virada de ano. O município de Tibau, onde ficam as praias daquela região, atraiu muitos mossoroenses. Podemos constatar isso por meio do relatório do 2º Distrito de Polícia Rodoviária (2º DPRE) que apresentou dados bem elevados de abordagens, exames etílicos e notificações”, disse o tenente coronel Manoel Kennedy Nunes.

Lei Seca é intensificada no verão para “salvar vidas”

Compartilhe esse conteúdo

O governador Robinson Faria anunciou ontem oficialmente, na sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a ampliação das blitzen da Lei Seca no Rio Grande do Norte durante o verão. Robinson Faria entregou os quatro novos carros que estão à disposição da equipe de policiais e ressaltou que a intensificação dos trabalhos visa a “salvar vidas” e não fazer mais prisões.
 
A cerimônia teve presença de diversas autoridades do Estado. O capitão da Polícia Militar Styvenson Valentim, coordenador da lei Seca do Rio Grande do Norte, também compareceu ao evento e falou da importância do incremento para a contribuição da efetividade das batidas policiais.
 
O oficial conhecido no estado pelas operações contra a embriaguez ao volante adianta que não haverá trégua para ninguém. Styvenson também adiantou que uma das reclamações entre as pessoas paradas nas barreiras é a demora no preenchimento ao auto em flagrante. 
 
“Era preenchido a mão e precisa de muita atenção do policial, não pode ser de qualquer jeito”, conta. Agora, as equipes receberam notebooks para fazer as autuações. “O tempo era de vinte minutos e agora vai durar aproximadamente cinco”, afirma Styvenson.
 
Contudo, adianta o capitão, também vai reduzir o tempo que o condutor alcoolizado tem para chamar alguém para guiar o veículo que fica apreendido. “Vai aumentar o número de apreensões, porque a pessoa vai precisar chegar enquanto se faz a autuação”, explica.
 
Foram disponibilizadas quatro viaturas destinadas exclusivamente à atuação em blitz da Lei Seca e a inclusão de mais 14 agentes fiscalizadores ao atual contingente destinado ao Detran-RN, órgão responsável pelo cumprimento das fiscalizações no estado. Segundo Styvenson Valentim, a equipe era antes composta por sete policiais e mais dois coordenadores, incluindo ele.
 
Desse modo, haverá um crescimento de quase 300% no efetivo total, quando comparado ao atual, que conta apenas com dois automóveis e sete agentes.
 
O diretor do Detran, Júlio César Câmara, concorda que a ampliação do quadro contribuirá para garantir a diminuição do número de acidentes e, consequentemente, de mortes provocadas pelas colisões. De acordo com o que informou Júlio César durante a cerimônia, nos últimos 10 anos 420 mil pessoas morreram em acidentes de trânsito no Brasil.
 
“O número é superior aos atingidos pelas intermináveis guerras pelo mundo”, alardeou.O tenente Styvenson Valentim destaca que as blitzen têm o intuito maior de reduzir o número de presos. “Pois esperamos que as pessoas se conscientizem e passem a evitar dirigir sob efeito de álcool”, esclarece.
 
“É uma ação de Cidadania, sobretudo”, ressaltou o governador Robinson Faria durante seu pronunciamento. O chefe do Executivo estadual parabenizou o trabalho dos policiais que atuam na Lei Seca e afirmou que a expectativa é de fazer este verão um dos mais “tranquilos” dos últimos anos.
 
Em vigor há 7 anos
 
Há sete anos em vigor, a Lei Seca é um dos instrumentos de fiscalização mais eficazes usados pelo Estado no sentido de educar e coibir ações imprudentes no trânsito brasileiro. Criada em 2008 e sendo atualizada em 2012, a Lei 11.750 prevê punições severas para os condutores que insistem em dirigir após terem ingerido bebidas alcoólicas.
 
Segundo pesquisas recentes realizadas no estado, 88,8% da população potiguar aprova o trabalho realizado pelos agentes da Lei Seca. O número mostra que, aos poucos, a cultura de beber e dirigir vem sendo quebrada.
 
Essa mudança cultural tem acontecido, na opinião do diretor-geral do Detran, em função do aumento das campanhas referentes aos perigos de dirigir após ingerir bebida alcoólica. Em 2015, o órgão de fiscalização criou a peça publicitária “Motorista do Bem” que visa justamente instruir os condutores e a população em geral.
 
Os agentes de fiscalização da Lei Seca ainda oferecem palestras em escolas, empresas e demais entidades.
 
Meta é dobrar o número de operações no próximo ano 
 
Até 17 de dezembro, foram realizadas este ano 58 operações da Lei Seca em todo o Rio Grande do Norte, uma média de quatro por mês. Para o ano que vem, a estimativa prévia é de que o Detran tenha condições de fazer até sete ou oito por semana.
 
Outra novidade para 2016, segundo antecipou o governador Robinson Faria, é a atuação dos homens da Lei Seca nas orlas das praias do Rio Grande do Norte. Além de fazerem as barreiras na estrada, os policiais também vão para a beira-mar realizar o mesmo trabalho e, ao mesmo tempo, coibir outros tipos de crimes.
 
O tenente Styvenson Valentim disse que, depois que deixarem a orla, os policiais vão trabalhar nas ruas das praias, realizando abordagens a transeuntes e veículos para coibir o uso de armas e drogas.
 
A operação visa reduzir as ocorrências envolvendo turistas e moradores das regiões mais visitadas durante o veraneio, com enfoque na zona costeira do estado. Nesta edição, em especial, as fiscalizações serão estendidas por todo o litoral potiguar, com atuações divididas em duas frentes: educativa e coerciva.
 
O número de acidentes fatais no Rio Grande do Norte apresentou uma queda de 13,4% quando comparado ao que foi registrado entre janeiro e setembro do ano passado. De acordo com dados fornecidos pelo Detran, 500 pessoas perderam a vida em estradas potiguares nos nove primeiros meses de 2014, enquanto que, no mesmo período desse ano, 443 pessoas foram vítimas fatais de acidentes envolvendo veículos.
 
Apesar da queda, o número ainda é considerado bastante alto e preocupa a direção do Departamento Estadual de Trânsito. Na opinião de Júlio César Câmara, a imprudência e a falta de consciência da população ainda são os principais fatores que provocam mortes no estado.
 
Júlio cita o mais recente caso de morte ocorrido em Natal, em função da combinação álcool e direção, como exemplo disso. No dia 5 de dezembro, dois italianos morreram em função de uma colisão envolvendo um  táxi e uma Pajero, na Rota do Sol.
 
De acordo com o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), o motorista da Pajero avançou um sinal vermelho e bateu no táxi, que estava com três italianos e uma brasileira, além do condutor. O teste do bafômetro apontou 0.67 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelo condutor da Pajero. A partir de 0.34, é considerado crime de embriaguez ao volante.
 
A RN-063, que na região metropolitana de Natal ganha o nome de Rota do Sol, foi a via de Natal que mais recebeu blitz da Lei Seca, com seis operações realizadas entre janeiro e junho deste ano. Ainda assim, a fiscalização não foi capaz de evitar as duas mortes em questão.
 
As melhorias previstas para a ampliação dos trabalhos relacionados à aplicabilidade da Lei Seca não ficarão restritas apenas aos meses da Operação Verão. Pelo contrário, conforme ressalta a direção do Detran, durante todo o ano de 2016 as ações serão ampliadas e terão caráter permanente tanto em Natal quanto no interior do estado.
 
Saiba mais
 
Locais que mais receberam ações da Lei Seca no primeiro semestre de 2015
 
RN063 (Rota do Sol) - 6
Av. Roberto Freire  - 4
Hermes da Fonseca -1
Rua Walter Duarte - 3
Av. P. de Morais – 1
Praça A. Severo – 2
Rua Curimatam – 1
Rua Cunha da Mota – 4
Av. Dr. Rui Mariz – 3
Av. da Saudade – 1
Av. Omar O’grady – 2
Rua José Mauro – 3
 
Operação Verão
 
Litoral Norte
 
Tibau, Grossos, 
Porto do Mangue, Macau, Guamaré, Galinhos, Caiçara 
do Norte, São Bento do Norte, São Miguel do Gostoso, 
Touros, Cajueiro, 
Rio do Fogo, Maxaranguape, Muriú, Jacumã, Pitangui, Santa Rita e Redinha.
 
Litoral Sul
 
Pirangi, Pium, Cotovelo, Búzios, Tabatinga, Barreta, Tibau do Sul, Pipa, Barra do Cunhaú e Baía Formosa.